A perda da memória é algo que ocorre gradativamente ao longo do tempo, principalmente quando a pessoa está se aproximando da terceira idade. No entanto, é algo que causa alguns riscos para a pessoa idosa. Entenda mais sobre eles no texto abaixo.

Com o avançar da idade, algumas pessoas tendem a ter a perda gradual de memória, muitas vezes essa perda pode estar relacionada ao Alzheimer. Entender os riscos que essa doença possui e quais os principais sinais para prevenção é essencial para familiares e cuidadores.


Os riscos da perda de memória na terceira idade: como prevenir o Alzheimer

A doença de Alzheimer é um tipo de demência responsável por causar problemas de memória, pensamento e comportamento. Os sintomas dessa doença se desenvolvem lentamente e pioram com o tempo. Porém, existem algumas formas de prevenção para que não acometa a pessoa idosa ao longo da terceira idade. 

De um modo geral, quem deseja ter uma vida longeva deve priorizar sempre manter cuidados básicos com a saúde, mas que farão toda diferença com o chegar da vida adulta e terceira idade. 

Sendo assim, a principal forma de prevenção do Alzheimer é investir nos cuidados com a saúde física e mental, dentre eles estão: 

  • Atividade física;
  • Alimentação balanceada e rica em antioxidantes;
  • Não beber álcool em excesso;
  • Não fumar;
  • Atividades intelectuais, como a leitura, testes e exercícios mentais como palavra cruzada;
  • Manter o convívio familiar e social. 

Por que é importante entender a relação entre a perda de memória e o Alzheimer

O Alzheimer não afeta apenas a “memória” mas vários outros sentidos no corpo da pessoa idosa, como a fala e a noção de espaço e tempo, causa apatia, delírios e, em alguns casos, leva a um comportamento agressivo. Diferente de outras doenças como a demência, por exemplo, essa é uma condição em que uma parte do cérebro associada ao aprendizado é inicialmente danificada, causando então o primeiro sinal de início da doença, a dificuldade em lembrar informações recentemente aprendidas. 

Além da perda de memória, os sintomas de Alzheimer incluem:

  • Problemas para completar tarefas que antes eram fáceis.
  • Dificuldades para a resolução de problemas.
  • Mudanças no humor ou personalidade; afastamento de amigos e familiares.
  • Problemas com a comunicação, tanto escrita como falada.
  • Confusão sobre locais, pessoas e eventos.
  • Alterações visuais, como problemas para entender imagens.

A urgência de cuidar da saúde mental na terceira idade

Com o passar do tempo, é possível notar que o envelhecimento traz consigo uma série de mudanças tanto para o corpo como para a mente. A perda ou redução da mobilidade, perda de pessoas próximas, e demais transformações da terceira idade podem gerar uma série de emoções distintas para a pessoa idosa. 

Não é incomum que sentimentos como solidão, ansiedade, tristeza, entre outros apareçam nessa fase da terceira idade, porém, não devem nunca ser considerados normais. O cuidado com a saúde mental da pessoa idosa pode colaborar e muito para que esses sintomas diminuam com o tempo. 

Inclusive, vale lembrar, que algumas doenças físicas ou mentais podem ser causadas pela  falta de preparo emocional do indivíduo ao longo da vida.

Por isso, o cuidado com a saúde mental é tão essencial! Ele permitirá que a pessoa idosa se sinta mais disposta, tenha melhor qualidade de vida e evite diversas doenças ao longo do tempo. 


A relação entre o Alzheimer e a depressão na terceira idade

A depressão é uma doença psiquiátrica que afeta o emocional da pessoa idosa. Normalmente o indivíduo passa a apresentar sinais de tristeza profunda, falta de apetite, desânimo, pessimismo e baixa auto-estima. 

Se não tratada corretamente ao longo dos anos, a depressão duradoura pode prejudicar fisiologicamente o cérebro. Uma pesquisa realizada pelo Centro de Estudos sobre Vícios e Saúde Mental (CAMH) no Canadá sugere que, se a doença persistir por mais de 10 anos sem tratamento, ela pode provocar inflamações no cérebro que são equivalentes às detectadas no Alzheimer e outros tipos de doença.

A depressão é muito comum em pessoas com diagnóstico de Alzheimer. Estima-se que até 40% das pessoas com a doença também possuem o risco de desenvolver depressão. Isso ocorre principalmente quando há um diagnóstico precoce e o paciente ainda não possui comprometimentos cognitivos tão graves. Mas, através do tratamento é possível promover uma melhora na qualidade de vida dos portadores da doença. 


O papel dos cuidadores de idosos na prevenção e tratamento do Alzheimer

O cuidador é de suma importância no dia a dia da pessoa idosa. É ele quem o acompanhará e incentivará nas tarefas diárias. Além do que, no caso do home care, essa pessoa também irá auxiliar na manutenção dos tratamentos médicos. 

Sendo assim, é primordial que este profissional esteja bem orientado a respeito do que é importante na rotina do indivíduo. 

Uma das recomendações essenciais é a calma. Isso porque, a pessoa com Alzheimer vai perdendo gradativamente a sua capacidade de movimentação. Assim, ao perceber dificuldade em realizar tarefas antes consideradas simples, a pessoa idosa poderá apresentar irritação. 

Então, a fim de minimizar estes acontecimentos, o cuidador precisará dar orientações claras e simplificadas ao indivíduo. Aqui é importante destacar que quem cuida não deve se desgastar nem desgastar o paciente com insistências desnecessárias, visto que, algumas manias, como vestir a mesma roupa ou acessório, podem ser bastante comuns nesses pacientes. 

Nestes casos, o cuidador deve elaborar sua próprias formas de seguir com seus cuidados sem estabelecer um enfrentamento junto à pessoa idosa.

Por isso, contamos com uma equipe multidisciplinar, que oferece todo o suporte no tratamento do Alzheimer, incluindo cuidadores treinados e especializados. A missão da Personale é oferecer todo o auxílio para que a pessoa idosa desfrute de um envelhecimento com qualidade de vida e segurança. 


Como identificar os sinais precoces do Alzheimer e agir rapidamente

Entender como proceder nos sintomas iniciais da doença é essencial para que sejam evitadas complicações futuras. Muitas vezes se torna difícil em alguns momentos distinguir as próprias alterações nas funções cognitivas resultantes do processo natural de envelhecimento, com sintomas do Alzheimer. Se de algum modo essas “alterações” começarem a interferir na vida cotidiana da pessoa idosa é necessário procurar ajuda médica.

Abaixo listamos os sinais precoces do Alzheimer, para que você fique atento.

  1. Esquecimento total ou parcial de um acontecimento;
  2. Baixa elaboração de estratégias e resolução problemas simples;
  3. Perda progressiva da capacidade de se lavar, vestir ou alimentar sozinho;
  4. Limitações no acompanhamento de conversações;
  5. Delimitação de pensamentos complexos;
  6. Alteração na linguagem;
  7. Dificuldades para realizar atividades do dia a dia;
  8. Depressão;
  9. Irritabilidade e Agressividade;
  10. Alterações de humor e personalidade;
  11. Problemas de visão (dificuldades em calcular distâncias, determinar cores e contraste).

Estratégias para melhorar a qualidade de vida dos idosos com Alzheimer e seus cuidadores

A pessoa idosa que sofre com a doença de Alzheimer, além de precisar realizar tratamentos médicos necessários, também necessita de atenção e carinho através de pequenos hábitos que podem contribuir e melhorar a sua qualidade de vida. 

Para que sejam evitados momentos de estresse, o cuidador deve  ter uma conduta respeitosa com a pessoa idosa, sem que faça ela se sentir “dependente” ou como se estivesse ausente no local, além de escolher sempre palavras curtas e tons amigáveis de conversa. A doença por si só já é suficientemente cansativa para o indivíduo, o cuidador deve (através de hábitos cotidianos) elevar a autoestima da pessoa idosa para que ela não se sinta insuficiente. 

Além disso, existem também outras dicas importantes que o cuidador deve estar atento para promover a melhora de alguns sintomas da doença. Abaixo listamos algumas delas: 

  • Procure realizar as atividade que demandem maior desgaste nos horários em que a pessoa está mais ativa;
  • Mantenha fotos e outros objetos com significado positivo para o indivíduo espalhados pela casa;
  • Aplicar medidas para diminuir a insônia (higiene do sono);
  • Intercalar atividades prazerosas em meio às obrigações para a melhora do humor da pessoa idosa;
  • Evitar locais barulhentos.
  • O indivíduo deve sempre utilizar de calçados confortáveis e antiderrapantes;
  • Elimine objetos pesados e utensílios cortantes do ambiente;
  • Tome cuidado com a temperatura da água para o banho;
  • Estabeleça horários específicos para refeições e higiene pessoal;

O cuidado com a pessoa idosa nesse estágio tão difícil de sua vida é primordial, e com a equipe da Personale você pode tornar essa experiência mais leve e segura. Através de profissionais 100% capacitados e especialistas que sabem como auxiliar no cotidiano do indivíduo, atuando de forma respeitosa e individual. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Fale Conosco