• 22 de setembro de 2021
  • joseguterres
  • 1

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa progressiva, prevalente entre os idosos e considerada uma das principais formas de demência. Nela, há perda progressiva da memória que, aos poucos, passa a comprometer até mesmo a realização de tarefas comuns do dia a dia.

Seus sintomas, que iniciam com esquecimentos sutis e consequentes mudanças de comportamento, podem levar à completa dependência de um cuidador para atividades como comer e realizar a higiene pessoal – pois com a progressão da doença, o acompanhamento passa a ser essencial para garantir a segurança e qualidade de vida do idoso.

No entanto, conforme as necessidades de cuidado tornam-se excessivas, é comum a família se sentir sobrecarregada – porque, de fato, o idoso passa a necessitar cada vez mais de atenção. E nesses momentos, a presença de um profissional, como o cuidador de idosos, se torna essencial. 

Mas quando é a hora de contratar um cuidador para o paciente com Alzheimer? Certamente, na família de todos que possuem algum familiar diagnosticado com a doença,  em algum momento surge esse questionamento. E para respondermos a essa pergunta, é importante analisarmos alguns fatores primeiro – como a rotina de cuidados, as dificuldades enfrentadas pelas famílias e o importante papel do cuidador profissional nesse cenário.


Qual a rotina de cuidados com o Alzheimer?

Para começar, é importante destacarmos que o paciente com Alzheimer demanda uma rotina de cuidados bastante extensa – e conforme a doença progride, vai demandando cada vez mais dedicação. 

Tendo isso em mente, organizar o dia a dia e seguir uma programação semanal ajuda a manter essa rotina de uma forma mais saudável. Nesse planejamento, é necessário incluir os horários das medicações, alimentação, higiene, lazer, atividades físicas e assim por diante. 

Estruturar na rotina diária atividades prazerosas – como natação, dança, caminhadas, idas ao parque, etc -, intercaladas com as chamadas “obrigações”, quase sempre reduz a agitação e melhora o humor do paciente e do familiar ou cuidador. Mas lembre-se que sempre é necessário ir ajustando as atividades de acordo com as capacidades funcionais da pessoa de quem você está cuidando.

No mais, devido ao fato de os pacientes com Alzheimer serem menos capazes de controlar seus estímulos, é normal apresentarem mudanças comportamentais que se agravam com a evolução da doença, e em função disso, podem agir de forma inadequada. Essas alterações consistem em ações como gritar ou se jogar; ficar confuso sobre o dia e a noite; ter alucinações ou insônias; gritar ou chamar quando não consegue dormir; esquecer do que lhe foi dito e do que fez recentemente, repetindo perguntas e conversas, solicitando atenção constante ou pedindo coisas que já recebeu (podendo ficar frustrado ou chateado se não receber o que pede). 

Saber lidar com essas mudanças é algo bastante delicado, principalmente para o familiar que tem a triste missão de assistir aqueles que amam se comportarem de maneira diferente. Nessas situações, para garantir os cuidados necessários, a qualdiade de vida do paciente e toda tranquilidade para a família, a presença de um profissional pode é fundamental. 


Qual a importância de um cuidador profissional?

Todos temos uma rotina própria com nosso trabalho, estudo, filhos, afazeres domésticos, entre outras tarefas. Justamente por isso, por mais que se queira, nem sempre é possível dedicar ao idoso toda a atenção que ele precisa.

Considerando, então, as inúmeras dificuldades que o paciente e os familiares enfrentam com a doença, é importante compartilhar a sobrecarga da família com alguém especializado no cuidado e acompanhamento para que o paciente seja, de fato, bem assistido. Buscar ajuda de um profissional não pode ser visto como uma fraqueza ou descuido. Ao contrário, essa atitude proporciona mais qualidade de vida para o paciente com demência. 

O cuidador de idosos é um profissional certificado e treinado para lidar com todas as adversidades provocadas pela doença de Alzheimer. Ele está ali para exercer um trabalho profissional de atenção ao idoso e deixar a família mais tranquila, garantindo uma boa execução da rotina de cuidados e trazendo saúde e bem estar para o dia a dia do paciente. 

Vale ressaltar que esse papel é de extrema relevância e demanda muita paciência. São comuns atitudes agressivas por parte do doente, pois ele se sente confuso com as próprias limitações – onde o cuidador pode contribuir até mesmo para que os relacionamentos afetivos entre familiares sejam preservados.


Quando é hora de contratar um cuidador de idosos para o paciente de Alzheimer?

Muitas vezes, a evolução da demência vai acontecendo de forma tão gradual, que no decorrer da rotina não percebemos, os pequenos sinais ou incidentes que podem nos alertar para essa importante questão. Em muitos casos, a família começa a notar que o idoso passa a apresentar dificuldades nos afazeres do dia a dia – como cozinhar, cuidar da casa, ir ao supermercado -, ou até já sofreu algum acidente dentro de sua casa. 

E embora este seja um momento delicado – pois pode existir a resistência e negação do idoso de reconhecer o diagnóstico da doença, e muitas vezes, a negação da própria família -, a hora certa de contratar um cuidador de idosos é indicada quando a família se vê nessa situação. 

E para os pacientes com Alzheimer, a presença do cuidador é indicada desde a fase inicial da doença, para que a família se adapte à rotina com a presença do profissional desde o começo e, assim, garanta que o idoso tenha a melhor atenção possível e consiga lidar com a situação de forma mais amena. 

Outro motivo de necessidade para contratar um cuidador de idosos é o acompanhamento nas consultas e tratamentos que, por vezes, não podem ser feitas por familiares devido aos horários de trabalho. Além dos horários de alimentação, que devem incluir uma nutrição adequada e elaborada para o paciente. Nessas situações, contratar um cuidador garante que o doente seja assistido corretamente e mantenha os horários certos. 

O mesmo se aplica, claro, para os horários das medicações, das atividades físicas ou de lazer – bem como tudo aquilo incluído na rotina elaborada para o idoso. 


Por que a Personale Saúde é a melhor opção para cuidar de pacientes com Alzheimer?

Ao longo dos nossos 25 anos de trabalho, a Personale Saúde acompanhou de perto as dificuldades enfrentadas pelas famílias que cuidam do paciente – observando, também, o quanto minimiza o sofrimento do paciente mantê-lo em casa ao invés de optar pela institucionalização. E o Alzheimer, em seu estágio mais avançado, inevitavelmente necessita de um profissional técnico de enfermagem, especializado nos cuidados mais complexos que surgem com a progressão da doença.. 

Diante disso, a nossa equipe multidisciplinar de saúde vem promovendo qualidade de vida tanto para os pacientes quanto para seus familiares, através de uma abordagem profissional e qualificada, que abrange as necessidades decorrentes da demência e acompanha o dia a dia da família – proporcionando uma rotina de cuidados que seja o mais saudável possível.

Além dos cuidadores, nossa equipe multidisciplinar conta com fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos, dentistas e outros especialistas para garantir o melhor cuidado com o doente no conforto de casa, próximo da família.

Na Personale, são mais de 300 pacientes atendidos e mais de 800.000 horas de atendimento com Alzheimer. Nossa atuação tem foco no cuidado humanizado, estimulando a autonomia dos pacientes com respeito às suas necessidades e capacidades.

1 comment on “Quando é hora de contratar um cuidador de idosos para o paciente de Alzheimer?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Quero Contratar